sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

NOTICIA DIVULGADA NO SITE DA PREFEITURA MUNICIPAL DE IMPERATRIZ-MA

QUINTA-FEIRA, 9 DE JULHO DE 2009

FOTO DIVULGADA NO SITE DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SAÚDE - http://www.imperatriz.ma.gov.br/pmi/

FOTO DIVULGADA NO SITE DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SAÚDE - http://www.imperatriz.ma.gov.br/pmi/

NOTICIA DIVULGADA NO SITE DA PREFEITURA MUNICIPAL DE IMPERATRIZ-MA

I Encontro Municipal sobre Álcool e outras drogas chama atenção para o problema da dependência química Fonte: Ascom 03/07/2009 Prefeito e secretário de saúde participam da abertura do evento - O auditório da Secretaria de Saúde ficou lotado na manhã de ontem, no I Encontro Municipal sobre Álcool e outras drogas, promovido pelo Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas – Caps ad Girassol. O evento faz parte da comemoração de um ano de implantação do programa em Imperatriz.

Na programação de abertura, os pacientes do CAPS ad cantaram o hino nacional e arrancaram aplausos da plateia. Na ocasião, estiveram presentes o prefeito Sebastião Madeira, os secretários do governo e da saúde, Carlos Amorim e Mamede Magalhães, respectivamente, além da vereadora Fátima Avelino, profissionais da saúde, estudantes e comunidade.

Para discutir a dependência química como principal fator que contribui para a diminuição da saúde mental, os palestrantes Sander Albuquerque, psicólogo e coordenador do Caps ad de Campinas, São Paulo, e Patrício Barros, redutor de danos da Associação Brasileira de Redutores de Danos, apresentaram dados alarmantes do uso de álcool e outras drogas, com números elevados principalmente no Nordeste.

De acordo com o Sander, o álcool é o maior problema de saúde pública. Pelo fato de ser uma droga lícita, muitos não enxergam o tamanho da problemática. “É importante pensarmos sobre a criação de políticas públicas efetivas no atendimento e cuidados realizados pelos Centros de Atenção Psicossocial”, afirma.

Com um ano de funcionamento, muitos são os problemas e desafios. A extensão do horário de atendimento e a construção de um hospital de referência para o tratamento de dependentes químicos são propostas que serão encaminhadas ao Ministério da Saúde e à prefeitura municipal. Segundo a coordenadora do Caps ad, Gizele Cerqueira, que participou da elaboração e da implantação do projeto, o interesse da sociedade pelo assunto se deu pelo fato de muitos lançarem um novo olhar sob os dependentes químicos. “Proporcionar essa discussão sobre um tema tão comum facilita a reinserção social dos pacientes”, completa.

Atualmente, o Caps ad atende 100 usuários, assistidos por uma equipe multidisciplinar formada por psicólogos, médicos, enfermeiros, assistentes sociais, auxiliar de enfermagem e artesãos. Para o paciente C.C.M, 55 anos, os cuidados que ele recebe no Caps fazem com que ele evite ingerir álcool e tente a recuperação da sua cidadania. “Eu só tenho coragem pra lutar contra esse vício devido o constante apoio que eu recebo de toda a equipe”, desabafa.

O Caps visa a substituição dos hospitais psiquiátricos e de seus métodos para cuidar de pessoas que sofrem com transtornos relativos à saúde mental. O Núcleo de Atenção Integrada em Saúde de Imperatriz (NAISI) conta com a atenção de três CAPS: O Centro de Atenção Psicossocial Renascer (CAPS II), o Infanto-Juvenil(CAPSIJ) e o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS ad), que fica na rua Tupinambá, 830, Jardim São Luís.

Nenhum comentário:

Postar um comentário